Entrevista #02: Joice Morgan

Olá, pessoas!

Neste post teremos uma entrevista com a fofa da autora Joice Morgan. Foi muito divertido, portanto espero que gostem o tanto quanto eu.

Image

1- Joice, quando e como foi que você começou a escrever?

Sem contar as “músicas” que eu escrevia quando tinha uns seis, comecei a escrever com treze anos. Eu e minha amiga estávamos na fase viciadas por fics então uma coisa levou à outra; começamos lendo e acabamos querendo escrever. Claro que nossas ideias de fics eram ridículas, tão surreais quanto trombar com o ídolo na porta de casa e ele se apaixonar automaticamente por você. Na verdade, imagine que era um pouco pior, pois esse amor provavelmente não acontecia apenas uma vez; acontecia quatro vezes.

2- Ao todo, quantas histórias você já possui?

Quando tenho uma ideia que gruda na minha cabeça, me sinto na obrigação de começar. Então tenho muitos prólogos, sinopses e primeiros capítulos de estórias soltas. No todo, devo ter umas dez com pelo menos uma parte escrita. Mas também tenho outras que só salvo como nota no celular, esperando que algum dia eu consiga traduzir o que aquelas palavras soltas deveriam significar.

3- Você, atualmente, é mais conhecida por Drain You, inclusive foi considerada a escritora do mês no Fanfic Obsession. Ao começar a escrever Drain You, você imaginava tamanho sucesso?

Como já fui viciada em ler fics (e ainda mantenho meu vicio por uma em particular), tenho muito bem definido o enredo que agrada mais as leitoras – afinal, sou uma delas -. Mas mesmo assim, não esperava que as pessoas realmente gostassem. Drain you vem me dando muitas surpresas positivas e esse sucesso é uma delas.

4- O que os seus leitores podem esperar de Drain You?

Podem esperar estória. A maioria das fics restritas – e até mesmo livros eróticos – são rotuladas de só sexo, só putaria e afins. Desde o começo eu não queria isso pra dy, tem sexo, tem “putaria”, mas, além disso, quero que as pessoas leiam por causa da estória. Nada é o que parece ser, ninguém é verdadeiramente confiável, então evitem tirar conclusões precipitadas.

5- Todo escritor tem apreço por leitura, então me diga: quais são seus escritores favoritos? Independentes e já consagrados.

J.K Rowling, Jane Austen, H.P Lovecraft e tenho a impressão que muito futuramente John Green estará entre eles. Claro, pensando nos ainda não consagrados, curto uma tal de N. Ramiro, Rayanne Mayhew e um tal de Jonathan Tavares.

6- Você pretende publicar profissionalmente algum dia?

Meu sonho. A propósito, eu e minha amiga mandamos pra rocco semana passada nosso primeiro livro.

7- Que ótimo! Desejo-lhe sorte nesse desejo de publicar. Você poderia nos contar um pouquinho sobre esse livro (Sete Pecados de Sangue)?

Sete pecados de Sangue é meu livro, sabe. Acho que todos os autores têm um livro no qual eles colocam toda sua essência, e 7PS é esse livro pra mim. Os personagens fazem parte de mim, a estória está agarrada ao meu redor. Mas era de se esperar, eu e a Rayanne (minha melhor amiga que escrever 7PS comigo) gastamos por volta de cinco anos nessa obra. Sofremos por insegurança, imaturidade, “perda” de personagens reais e várias outras coisas. Então, além de ser a minha primeira obra concluía, Sete pecados de Sangue é quase o meu professor de como ser uma escritora. Ok, Ok, detendo meu amor. Vou deixar um pedacinho de sinopse pra vocês: “Quando foi que me permiti iludir pelos olhos vermelhos e ardentes de luxúria, a fome incandescente e insaciável da gula, a dor e amargura que provinham da inveja, os sentimentos indecifráveis por trás da face oca da avareza, os doces sorrisos que escondiam os múltiplos lados da ira, a adorável e aconchegante preguiça que sempre acompanhava a desvairada vaidade?”

8- Como é escrever juntamente de uma outra autora tão talentosa quanto você?

É tenso. Eu escrevo com duas pessoas coisas completamente diferentes. Primeiramente 7PS, a Rayanne me MATA de ódio. Sem duvidas que ela é extremamente talentosa, mas é mais preguiçosa que eu, então sou a autora-inspetora-chata, que fica cobrando os capítulos. O bom de escrever com outra pessoa é a possibilidade de aprender. Querendo ou não, a outra autora tem tanta responsabilidade na estória quanto você, então você pode ficar o dia inteiro no ouvido dela falando sobre teorias para estória, coisas que você quer mudar, inseguranças e ela tem que… OUVIR.

9- Qual mensagem você dá para autores que, assim como você, possuem o sonho de publicar profissionalmente?

Nunca desistam dos seus sonhos, não importa o quão impossível eles possam parecer.